Como hackear WhatsApp pelo celular

Como hackear WhatsApp pelo celular

Como hackear WhatsApp pelo celular: entenda o passo a passo

Muitas pessoas gostariam de saber como hackear WhatsApp pelo celular ou, pelo menos, se é possível realizar tal façanha. Afinal, são muitos os casos em que se tem o desejo de monitorar a atividade online de outra pessoa.

Pais e mães, por exemplo, gostam de saber com quem os filhos conversam na Internet. Familiares se preocupam com as influências de jovens ou de pessoas que já tiveram problemas por causa de amizades. E cônjuges ciumentos querem vigiar com quem os parceiros estão conversando.

No entanto, é possível saber como hackear WhatsApp pelo celular? Sim, é. Se você ficou curioso para saber como, veja o passo a passo a seguir!

Passo a passo de como hackear WhatsApp pelo celular

Hackear WhatsApp pelo celular não é uma tarefa simples. É necessário ter alguns minutos disponíveis com o aparelho desbloqueado da “vítima”, para poder instalar um aplicativo específico.

Para entender como o processo funciona, siga a leitura dos passos a seguir!

1. Obtenha o celular que será hackeado

O primeiro passo de como hackear WhatsApp pelo celular é obter o smartphone da pessoa cuja movimentação online será monitorada. Para poder fazer o hackeamento, é preciso ter o aparelho em mãos.

Isso significa que não é possível monitorar a atividade da pessoa ao enviar um link, um vírus ou nada do tipo. O hackeamento só funciona de maneira estável e duradoura, independentemente de onde a pessoa estiver, se o hacker tiver o aparelho em mãos.

2. Baixe o aplicativo correto para isso

Quem quer saber como hackear WhatsApp pelo celular precisa baixar o aplicativo certo para o trabalho. Estamos falando do wSpy Pro, um software desenvolvido por uma equipe brasileira.

Esse programa, que é pago, deve ser baixado e instalado no aparelho que será hackeado. Sua função será capturar todas as mensagens e informações trocadas no WhatsApp e no celular em geral e enviar para um servidor em nuvem que, posteriormente, será acessado por quem está fazendo o monitoramento.

Para baixar o programa, basta entrar em seu site oficial e baixar o aplicativo de lá diretamente para o aparelho que será monitorado. Vale lembrar que o celular deve ser Android para funcionar, pois o recurso não dá certo no iPhone no momento.

3. Instale o aplicativo wSpy Pro

Depois de baixar o aplicativo no celular da vítima, instale-o completamente, inserindo os seus dados e fazendo o login na conta criada para poder usar o recurso (como ele é pago, é preciso criar uma conta).

O processo todo gera, no máximo, 3 minutos. Depois de instalado, o software fica completamente oculto no celular: ele não pode ser acessado pelo menu ou pela tela inicial, não apresenta notificações, não tem ícone e nem nome. Ou seja: ele está lá, mas completamente inacessível.

4. Saiba o que será obtido pelo software

Depois de instalado, o wSpy Pro ficará oculto no celular da vítima, capturando todas as  informações importantes e de interesse de quem faz o monitoramento. Além das conversas no WhatsApp, o sistema também permite acessar:

  • localização GPS (para saber onde estão seus filhos ou o seu cônjuge);
  • sites acessados (para descobrir quais são os sites que são acessados pelo aparelho, mesmo os feitos de forma anônima);
  • teclas digitadas (todas as letras que forem digitadas em qualquer aba de site, de rede social ou de conversa);
  • contatos (todos os contatos que estão registrados no aparelho);
  • histórico de chamadas (tanto as recebidas, quanto as realizadas);
  • tirar fotos (o wSpy Pro permite acessar a câmera e tirar fotos do celular em tempo real);
  • SMS (o sistema permite acessar todas as SMSs enviadas e recebidas);
  • Pesquisas no Google (o wSpy Pro revela todas as pesquisas que foram feitas no Google);
  • Directs no Instagram (o recurso captura todas as conversas privadas no Instagram).

É muita coisa, não é mesmo?

5. Entre no servidor para ver as informações

Depois do sistema instalado, ele começará a capturar todas as informações listadas anteriormente e enviará esses recursos para um servidor em nuvem.

Um sistema de computação em nuvem é como se fosse uma “internet particular”, de certa forma. Consiste em um servidor na Internet que pode ser acessado a qualquer momento por você, desde que tenha uma credencial para isso, e mais ninguém.

Nesse servidor, você encontrará todas as fotos, mensagens e conversas que forem capturadas pelo software espião.

A melhor parte do sistema ser em nuvem é que ele pode ser acessado a qualquer momento e de qualquer lugar. Você pode aceder ao servidor da sua casa, no computador de mesa do seu quarto, ou no ônibus, pelo celular, enquanto volta do trabalho.

6. Entenda as consequências jurídicas da situação

É importante frisar que, na vasta maioria dos casos, hackear WhatsApp é um crime. Isso é determinado pela Lei 12.737, chamada popularmente de Lei Carolina Dieckmann. Em seu artigo 154-A, a lei diz que invadir o celular de alguém “sem autorização expressa ou tácita” é crime.

Se houver autorização para isso, no entanto, a ação não é criminosa e pode ser realizada. Por isso, tenha em mente isso antes de realizar qualquer ação.

E aí, o que achou das dicas de como hackear WhatsApp pelo celular? Achou interessante o passo a passo? Comente abaixo com a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *